117 anos da LEI ÁUREA Celebrações no Rio de Janeiro

Homenagem à Redentora em seu Monumento no Leme
Na manhã do 13 DE MAIO DE 2005, houve homenagens à REDENTORA em torno de sua estátua, no Leme. As apresentações infantis e da Banda de Música da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro foram organizadas pela Senhora Marilda Sá da Silva, Presidente da Associação de Mulheres Empresárias (FAMEBRAS).

A Santa Missa
Às 16 horas, celebraram a Missa Solene comemorativa, na Igreja da Imperial Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, SS.Revmas. os Senhores Pe. José Delfino de Araújo (Reitor da Igreja), Mons. João Victoriano Barreto de Alencar (antigo Reitor) e o convidado de honra, Mons. José Laudares (Vigário Episcopal do Vicariato Urbano e Pároco da Igreja de N.S. Sant´Anna).

Não podendo comparecer à Missa nenhum representante da Família Imperial, a memória da REDENTORA e dos GRANDES ABOLICIONISTAS se fez representar pelo Presidente e o Secretário do Instituto, o Presidente do Círculo Monárquico do Rio de Janeiro e as descendentes do Conselheiro João Alfredo Corrêa de Oliveira, Presidente do Conselho de Ministros que pôs fim jurídico à escravidão no Brasil.

Durante a Homilia ressaltou-se o 13 DE MAIO enquanto data festiva para os católicos do mundo inteiro, em virtude das aparições de Nossa Senhora em Fátima (Portugal), mas também lembrou-se de marcar o significado particularmente tocante da data no calendário cívico brasileiro, enquanto Dia da Abolição da Escravatura.

Monsenhor Laudares, durante sua Homilia, ressaltou o 13 DE MAIO enquanto data festiva para os católicos do mundo inteiro, em virtude das aparições de Nossa Senhora em Fátima (Portugal), mas também lembrou-se de marcar o significado particularmente tocante da data no calendário cívico brasileiro, enquanto Dia da Abolição da Escravatura.

Ele terminou ressaltando a figura carismática e justa de Monsenhor Barreto de Alencar, sacerdote cearense octogenário que jamais abandonou a Irmandade do Rosário dos Pretos e que sempre professou profunda veneração pela religiosidade afro-brasileira. Sendo, inclusive, o 13 DE MAIO o aniversário natalício de Mons. Barreto, cantou-se entusiástico PARABÉNS PRA VOCÊ, como aliás em anos anteriores, ao que respondeu, emocionado, o consagrado ancião.

Depois disso, o Reitor Pe. Delfino de Araújo convidou o Secretário do IDII e antigo Regente de Culto da Irmandade, Vanderli Teixeira, a que usasse da palavra.

Após brevíssima confraternização no Salão Nobre da Imperial Irmandade, dali partiram o Presidente e o Secretário do IDII para o bairro da Gamboa, onde está localizado o Centro Cultural José Bonifácio, dirigido pela Profª. Carmen Luz e onde a sócia do IDII, Senhora Anna Davies, mantém a sede da CAPA (Casa do Artista Plástico Afro-Brasileiro), entidade que coordenou uma exposição de quadros e gravuras nos salões do velho palacete que abrigava uma escola pública do Império.

Depois da breve fala da Diretora do CCJB e da Presidente da CAPA, falou o Prof. Bruno de Cerqueira sobre a importância fundamental do 13 DE MAIO enquanto marco da maior vitória que a longa estrada da CIDADANIA trilha no Brasil, numa referência às expressões de José Murilo de Carvalho.

De lá partindo, dirigiram-se ainda, o Prof. Bruno e o Senhor Vanderli, ao CEMITÉRIO DOS PRETOS NOVOS (www.pretosnovos.com.br), importante sítio arqueológico carioca descoberto nos últimos anos.

O Conselho de Administração do IDII considera que, na atualidade, a estrutura necessária para a realização de grandes eventos neo-abolicionistas ainda seja incipiente. Ficamos, pois, na esperança de uma programação mais significativa para o ano de 2006.

GALERIA DE FOTOS